domingo, 23 de outubro de 2016



V Semana Espírita

RESPONSABILIDADE SOCIAL perante as LEIS MORAIS

17 a 23/10/16


O terceiro evento da V Semana Espírita da FEIS (19/10) começou com a apresentação musical do cantor Marcelo Barcelar e a violinista clássica Jana Vasconcelos. Daí o psicólogo Flávio Santos apresentou sua palestra versando sobre as Leis de Conservação e Destruição.
O conferencista iniciou o tema com uma competente aula a respeito dos estudos de Sigmund Freud sobre o inconsciente, a Interpretação dos Sonhos e o Princípio do Prazer. Descreve este último citando seus componentes: Eros - a pulsão de vida e Tânatos - a pulsão da morte, respectivamente o instinto de conservação e o instinto de destruição. Tais elementos se compensam, vivem juntos na natureza, estão dentro de nós.
O mecanismo de manutenção da vida é a mesma energia vital ou Princípio Cósmico Universal de que fala Allan Kardec. Estabelecendo um comparativo entre Freud e Kardec, Flávio explica que o Codificador do Espiritismo, muito antes que o psicanalista de Viena,  examinou no âmbito das Leis Morais, os instintos de conservação e destruição. Faltou ao criador da Psicanálise se aprofundar nas lições da espiritualidade, todavia podemos considerar o inconsciente como o espírito.
Conforme o palestrante, Freud afirmou que o psiquismo humano luta para viver, se proteger e se conservar vivo. Trata-se do mito da criação. Na Lei de Conservação ditada pelos espíritos encontramos lições de respeito à vida, um verdadeiro tratado de Ecologia e Filosofia Holística, propostas inteiramente atuais apesar de escritas no século XIX.
A Lei de Destruição, por sua vez, significa a destruição de um padigma para implantação de outro. Portanto as Leis Morais de Conservação e Destruição são necessárias, os flagelos naturais estão previstos para renovar o mundo material, desenvolver a sensibilidade humana através do sofrer além de melhorar intelectual e moralmente os espíritos.
O fluido vital da Lei de Conservação e Destruição está presente, sobretudo nas nossas práticas morais a atitudes diárias. A depender das nossas atitudes morais preservamos a vitalidade e prolongamos nossa existência na terra.
Flávio exalta que a Lei de Deus é uma só, mas se manifesta em expressões de leis materiais que regulam o corpo e as leis morais que regulam a vida da alma, objetivo do espiritismo.
Para finalizar, o palestrante conclama o público à prática do bem, afirmando que o amor gera saúde, benefícios à vida, moratória do corpo físico e preservação da vitalidade. A Lei do Amor é a Lei de Causa e Efeito ou a Lei de Compensação (Joana de Ângelis). Convida-nos a cultivar a alegria de viver e aproveitar a grande oportunidade da reencarnação.
Parabeniza a FEIS pela escolha do tema relembrando-nos que as Leis Morais, que regem nossa vida, originaram o Evangelho Segundo o Espiritismo para consolar as criaturas.